Niveis de Dificuldade

Há inúmeros factores e variáveis envolvidos.
Vamos resumi-los a dois grandes grupos, sem prejuízo da qualidade da classificação:
– O esforço físico necessário, inversamente proporcional à condição física dos praticantes;
– A técnica necessária, directamente proporcional à experiência e conhecimentos dos praticantes.

Consideramos o nivel 3 quando, na execução duma actividade, um praticante com uma condição física razoável*, pouca carga e sem conhecimentos técnicos, despende um esforço médio/baixo.
É um nível “acessível a todos”, com maior ou menor esforço, consoante a condição de cada um.
A partir daqui, intuem-se os restantes níveis.

Pressupõe-se a inexistência de problemas de saúde e uma auto-avaliação sensata dos participantes, assim como se conta com a utilização de equipamento adequado para a actividade e condições observadas.

1 : –
2 : Fácil – acessível a todos : alguma condição física; não necessita de técnica.
3 : Médio – acessível a todos : condição física média; não necessita de técnica.
4 : Difícil – condição física média/alta; pode necessitar do controlo de alguma técnica. **
5 : Muito Difícil – condição física alta; pode necessitar do controlo de bastante técnica. **

SUFIXOS:
‘-‘ : Nível indicado, desagravado.
‘+’ : Nível indicado, agravado.

* É subjetivo, mas consideramos como condição física razoável a pressupostamente possuida por um participante que pratique com alguma regularidade actividades físicas em regime aeróbico.

** Se for o caso, constará no programa da actividade.

Alojamento patrocinado por:
hocnet.pt - Registo e Alojamento de domínios WEB